Nova Futura Investimentos 12 de abril de 2019 3 minutos lendo
Voltar para o blog

Petrobrás, BR Distribuidora, CCR e outras

12 de abril de 2019   -   3 minutos lendo

Sinais de interferência do governo na política de preços da Petrobras podem pesar nas ações estatal nesta sexta-feira. No final da noite de ontem, a companhia decidiu adiar “por mais alguns dias” o reajuste no preço do diesel, horas depois de ter anunciado o aumento de 5,7%. A decisão de voltar atrás teria ocorrido após determinação do presidente Jair Bolsonaro, segundo o Jornal da Globo.

Aliado a isso, a estatal confirmou que analisa vender mais uma fatia das ações que detém na BR Distribuidora. Em comunicado ao mercado, a empresa admite que “iniciou estudos” e que avalia “diversos modelos” de venda junto com as instituições financeiras contratadas, entre as quais possível oferta pública de ações (follow on).

CCR


Olho também em CCR, com a notícia de que o acordo de leniência celebrado entre a RodoNorte – Concessionária de Rodovias Integradas, sua controlada, e o Ministério Público Federal – Procuradoria da República no Paraná foi homologado ontem.

No início de março a empresa já havia informado que o acordo prevê pagamentos e gastos totais de R$ 750 milhões. Na ocasião, a CCR detalhou que a RodoNorte se comprometeu a pagar o valor de R$ 35 milhões a título de multa prevista na Lei de Improbidade, bem como arcar com R$ 350 milhões, a título de redução em 30% da tarifa de pedágio em favor dos usuários de todas as praças de pedágio por ela operadas por, pelo menos, 12 meses.

O acordo prevê ainda que a empresa execute obras nas rodovias por ela operadas no valor total de R$ 365 milhões. Outro ponto do acordo é que a empresa se submeta a um processo de monitoria externa de compliance nos termos ali contratados.

Eletrobras


Olho também nas ações da Eletrobras, após a Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace) ter entrado com um pedido de reconsideração na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) questionando decisão, de 19 de março. A Aneel havia decidido, em um processo que questionava o repasse de custos embutidos nas contas de luz aos consumidores de todo o País nos últimos anos, que, em vez de devolver R$ 2,4 bilhões, a Eletrobras e Amazonas Energia vão receber R$ 1,591 bilhão em recursos do fundo setorial Conta de Consumo de Combustíveis (CCC).

Os créditos foram cedidos pela Amazonas Energia à Eletrobras no âmbito do processo de privatização da referida distribuidora. A Eletrobras diz que “tomará as medidas cabíveis”.

Tenda


Nos primeiros três meses do ano, as vendas líquidas da Construtora Tenda caíram 4,1% no comparativo anual, somando R$ 406,9 milhões. Na mesma base de comparação, as vendas brutas recuaram 6%, para R$ 443,0 milhões, devido, principalmente, à queda do preço médio por unidade vendida. No período, a velocidade sobre a oferta (VSO líquida) foi de 27,5%, 1,1 p.p. abaixo do quarto trimestre do ano passado e 1,6 p.p. abaixo dos primeiros três meses de 2018, devido à menor participação da companhia na faixa 1,5 do programa Minha Casa, Minha Vida.

A construtora divulgou projeções para 2019, estimando margem bruta ajustada e a receita líquida consolidada do exercício devem oscilará entre 34,0% e 36,0%. A empresa prevê ainda para este ano que as vendas líquidas oscilarão entre R$ 1,950 bilhão e R$ 2,150 bilhões.

Multiplan

A Multiplan adquiriu 20% de participação de seu sócio no BH Shopping por R$ 360 milhões. Deste montante, R$ 330 milhões foram pagos na data da formalização do negócio e R$ 30 milhões serão pagos em até 12 meses. Após a aquisição, a Multiplan passa a deter 100% de participação no BH Shopping.

(Fonte do noticiário corporativo: Agência Estado News)

Conteúdo Relacionado

Pronto para começar?

Abra sua conta

Ou deixe seus dados e entraremos em contato