Nova Futura Investimentos 13 de maio de 2019 4 minutos lendo
Voltar para o blog

Divulgação de balanços em meio a tensões entre EUA e China

13 de maio de 2019   -   4 minutos lendo

Os negócios na B3 nesta semana abrem sob tensão, por influência da difícil relação comercial entre EUA e China. Os futuros das bolsas de Nova York estão em baixa, assim como a maioria das bolsas na Europa. Na Ásia os índices também fecharam sessões negativas. Neste domingo, Donald Trump fez críticas à China e acenou com nova imposição de tarifas ao país, em breve. O governo de Pequim reafirmou hoje sua intenção de retaliar.

Na agenda da semana estão os últimos balanços referentes ao primeiro trimestre, alguns importantes, como Eletrobras, Embraer, JBS, Cosan, Ultrapar, Cemig e Kroton. A segunda-feira começa com os balanços de Burger King Brasil e Biotoscana, e à noite, é a vez de Eletrobras, JBS, Cosan, Itaúsa, Oi, Centauro, Renova Energia, Anima Holding, Alliar e Cesp. Para esta última, a expectativa é que o lucro líquido seja de R$ 67 milhões, segundo o Prévias Broadcast, ante prejuízo em igual etapa do ano passado.

Embraer

Além da expectativa quanto ao balanço, investidores ficarão atentos sobre Embraer após um avião da Myanmar National Airlines ter feito um pouso de emergência no Aeroporto Internacional de Mandalay neste domingo, usando apenas as rodas traseiras depois que o trem de pouso dianteiro não funcionou. Todos os 82 passageiros e sete tripulantes do voo UB103 vindo de Yangon saíram ilesos depois que o Embraer 190-LR tocou o solo com as rodas traseiras antes de o nariz do avião se inclinar para baixo, raspando a pista e causando uma chuva de faíscas enquanto a aeronave reduzia velocidade até parar.

Um comunicado na página do Facebook da companhia aérea explicou que o EICAS – Sistema de Indicação do Motor e Sistema de Alerta de Tripulação – indicou uma falha do trem de pouso dianteiro a ser utilizado. O piloto tentou um procedimento de emergência de backup, mas não teve sucesso.

Carrefour

Diante de uma decisão desfavorável do Supremo Tribunal Federal (STF), o Grupo Carrefour Brasil revisou a probabilidade de êxito de uma série de processos judiciais que tratam sobre o estorno parcial dos créditos de ICMS relacionados a produtos da cesta básica. Em fato relevante divulgado neste domingo, 12, a rede diz ter decidido, “em uma abordagem cautelosa”, realizar uma provisão integral do valor envolvido nestes processos. Conforme as demonstrações financeiras do grupo, em 31 de março de 2019, o valor total das autuações recebidas e não provisionadas sobre esse caso chegava a R$ 815 milhões.

JBS

Com balanço previsto a partir do fechamento do pregão desta segunda-feira, a JBS terá de lidar com a gestora de recursos GWI, do investidor coreano Mu Hak You, que entrou com pedido de arbitragem contra o grupo da família Batista, sob a alegação de que seus fundos tiveram prejuízos após as delações de Joesley e Wesley em maio de 2017, conforme reportagem do jornal O Estado de S.Paulo.

Na tese apresentada pela GWI, a gestora busca ressarcimento pelo prejuízo sistêmico causado ao mercado financeiro. Não há nenhum processo desta natureza no País. O processo de arbitragem está sendo conduzido pelo escritório Almeida Advogados, comandado pelo advogado André de Almeida, responsável pelo processo contra a Petrobrás nos Estados Unidos.

Petrobras

Os contratos futuros de petróleo operam com ganhos nesta madrugada, recuperando-se após três semanas consecutivas de baixas, mesmo diante da tensão comercial entre EUA e China, o que chamará a atenção dos investidores em Petrobras.

A estatal deu início à fase não vinculante referente à venda das ações da Liquigás Distribuidora, depois da tentativa frustrada de vender o ativo para a Ultragaz, da Ultrapar. Os potenciais investidores poderão manifestar interesse na transação até o dia 17 de maio.

Outros balanços

Podem repercutir hoje nos negócios os resultados apresentados desde a sexta-feira de Direcional, NotreDame e Alpargatas.

A Direcional Engenharia reportou lucro líquido de R$ 20,414 milhões no primeiro trimestre de 2019. O resultado representa uma reversão frente ao registrado nos mesmos meses de 2018, quando houve um prejuízo de R$ 8,093 milhões. O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 60,368 milhões, montante 4,55 vezes maior na mesma base de comparação. A margem Ebitda avançou 6,6 pontos porcentuais, para 17,3%. Já a receita líquida subiu 81,5%, para R$ 348,800 milhões.

O Grupo NotreDame Intermédica registrou lucro líquido de R$ 102,8 milhões no primeiro trimestre de 2019, o que representa um aumento de 70,7% ante o mesmo período de 2018. No critério ajustado, o lucro somou R$ 147,5 milhões, crescimento de 7,2%. O ganho ajustado sem os efeitos da norma IFRS 16 foi de R$ 152,4 milhões, alta de 10,7%. O Ebitda foi de R$ 271,9 milhões no trimestre, número 46% maior que no mesmo período do ano passado. No critério ajustado, o avanço foi de 36,6%, a R$ 290,8 milhões. O Ebitda ajustado sem IFRS 16 do NotreDame foi de 274 milhões, crescimento de 28,7%.

A Alpargatas encerrou o primeiro trimestre de 2019 com lucro líquido de R$ 43,478 milhões, o que representa uma queda de 61,5% na comparação com igual intervalo de 2018. O resultado considera os efeitos da norma contábil IFRS 16, que entrou em vigor neste ano. Sem esses efeitos, o lucro teria sido de R$ 45,878 milhões. O Ebitda recuou 20,5% no mesmo período, para R$ 134,4 milhões. Descontando o IFRS 16, o resultado é menor, de R$ 118,735 milhões.

(Fonte do noticiário corporativo: Agência Estado News)

Conteúdo Relacionado

Pronto para começar?

Abra sua conta

Ou deixe seus dados e entraremos em contato