Nova Futura Investimentos 06 de setembro de 2019 6 minutos lendo
Voltar para o blog

AES Tietê, Petrobras, MRV, Oi, Sinqia e Renova Energia

06 de setembro de 2019   -   6 minutos lendo

ECONOMIA E MERCADOS – CORPORATIVO

No aguardo pelo relatório de emprego nos EUA (payroll), às 9h30, e pelo discurso do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, às 13h30, os investidores devem operar em compasso de espera nesta sexta-feira, enquanto digerem o noticiário corporativo, com destaque para Petrobras, MRV, Oi, Sinqia, Renova Energia e AES Tietê. Vale destacar também que o Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) anunciou há pouco que vai reduzir os compulsórios bancários em 0,50 ponto porcentual no próximo dia 16.

Ontem, a petrolífera informou que a aprovação no Senado da proposta de emenda à Constituição (PEC 98/2019) que permite a União compartilhar com estados, Distrito Federal e municípios os recursos arrecadados nos leilões do pré-sal, é uma das etapas necessárias para possibilitar o pagamento da União à Petrobras de US$ 9,058 bilhões decorrentes da Revisão do Contrato da Cessão Onerosa.

“A Petrobras aguardará a aprovação da citada PEC na Câmara dos Deputados e a consequente alteração da Lei Orçamentária Anual, a fim de atender às condições de solução orçamentária exigidas pelo Conselho de Administração da companhia, para a assinatura do Termo Aditivo do Contrato de Cessão Onerosa”, informa.

Para o analista da Mirae Asset Pedro Galdi, o governo tem feito uma movimentação importante para acelerar as aprovações, entre elas a da cessão onerosa, algo que os investidores já previam que ficaria para o início do próximo ano. “No entanto, a queda do petróleo de mais de 2% no exterior em razão da espera pelo payroll e Powell deve pesar nas ações”, destacou.

No exterior, o mercado aguarda com cautela os dados de emprego dos EUA e o discurso de Powell, que poderá fornecer pistas sobre possíveis reduções de juros. Diante disso, as bolsas europeias operam sem direção única – com incertezas sobre o Brexit também no radar -, enquanto os futuros de Nova York registram leves ganhos.

Entre as notícias de estímulos, o PBoC anunciou que vai reduzir os compulsórios bancários em 0,50 ponto porcentual no próximo dia 16 com o objetivo de impulsionar empréstimos para empresas. Galdi destaca que esta é uma medida importante para estimular a economia em tempos de guerra comercial e que as ações de empresas ligadas a commodities podem ser beneficiadas. Por outro lado, queda no preço do minério de ferro, cujo o futuro em Dalian para janeiro caiu 3%, pode frustrar as expectativas, sobretudo com Vale e CSN.

MRV

Com a compra da construtora AHS Residential, sediada nos Estados Unidos, a MRV Engenharia pretende dar os primeiros passos de uma caminhada que pode chegar também a mais países no futuro. “Pretendemos ser uma plataforma mundial de construção”, afirmou o controlador do grupo, Rubens Menin, em entrevista ao Broadcast. Ele disse que o foco agora é a expansão e a consolidação no mercado imobiliário norte-americano, mas tem a intenção de avaliar a entrada em outros países mais adiante. “Algum dia vai acontecer”, projetou.

Conforme antecipou o Broadcast na terça-feira (3), a MRV vai investir US$ 236 milhões para a compra da participação de 51% na AHS, empresa fundada e controlada por Menin. A medida causou desconfiança de acionistas, que viram um possível conflito de interesses no negócio. A ação, que fechou em queda de mais de 6% no pregão de quarta-feira, ontem terminou com ganho de 1,41%.

Segundo um analista, após a empresa ter esclarecido suas intenções em relação à expansão no mercado internacional, a tendência agora é as ações se recuperaram, “já que parece ser um negócio promissor, principalmente nos EUA, onde é um mercado extremamente promissor”, apontou.

Oi

A Oi confirmou que o juiz da 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro autorizou que o conselho de administração eleja para assumir o cargo de diretor estatutário sem designação específica um chefe operacional (COO), subordinado ao diretor presidente da companhia. O CCO será responsável pela operação de core business da empresa, englobando as áreas de planejamento e desempenho operacional e centro de gerenciamento de rede. O profissional que ocupará o cargo ainda não foi eleito, segundo a companhia.

Um operador de mercado ressalta que este é um passo importante para a empresa tentar mudar o percurso da deterioração, mas chama a atenção que ainda “muitas coisas precisam ser feitas, pois a empresa está sem dinheiro. Precisamos espera seu projeto de capitalização para ver se a empresa conseguirá uma sobrevida”, pontuou.

Eneva

A Eneva informou que a Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (FEMARH) de Roraima emitiu a Licença de Instalação para a construção da UTE Jaguatirica II, com capacidade instalada de 132,3 MW, em Boa Vista.

A UTE Jaguatirica II foi vitoriosa no leilão para suprimento a Boa Vista e localidades conectadas de 2019, assegurando um Contrato de Comercialização de Energia Elétrica e Potência nos Sistemas Isolados (CCESI), pelo prazo de 15 anos, a partir de 28 de junho de 2021.

Eztec

Eztec informou que lançou a primeira torre do empreendimento Reserva JB, localizado em Osasco, na Região Metropolitana de São Paulo. Esta torre possui 330 unidades, de médio padrão, com áreas de 67 a 91 m², para um VGV total de R$ 158,9 milhões com 76,25% de participação da Eztec, resultando em R$ 121,1 milhões em VGV para a companhia.

Triunfo

A Triunfo Participações e Investimentos (TPI), que é concessionária de rodovias, entre as quais a Concer, que liga Juiz de Fora (MG) ao Rio de Janeiro com operação da BR-040, informou nesta manhã que por decisão na Justiça não poderá reduzir a tarifa de pedágio.

O Juízo da 5ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Distrito Federal acatou tutela de urgência requerida pela Concer sobre desequilíbrio econômico-financeiro do contrato, de modo que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) fica impedida de alterar as condições do contrato de concessão, abstendo-se de reduzir a tarifa ou impor penalidades administrativas e contratuais relacionadas a obrigações de investimento.

Sinqia

Hoje tem início a apresentação a investidores da oferta primária de ações com esforços restritos da Sinqia, ex-Senior Solution, empresa da área de software. Também nesta data é aberto o procedimento de coleta de intenções de investimento, que fecha dia 17, quando será definido o preço por ação na oferta subsequente, ou seja, follow on. À cotação do último pregão, R$ 76,70, a oferta de 4,5 milhões de ações com previsão de lote adicional de até 35%, pode movimentar cerca de R$ 465 milhões (considerando a colocação integral do lote adicional).

Nesta semana a companhia também anunciou desdobramento de ações, de uma em quatro, com o objetivo de aumentar a liquidez e tornar a ação mais acessível “a investidores menores”.

Renova Energia e AES Tietê

A norte-americana GE sinalizou que pode deixar nos próximos dias o projeto de Alto Sertão III, o que deve agravar a já frágil situação da Renova Energia, informou o Valor Econômico. A venda do complexo eólico para a AES Tietê é fundamental para evitar o colapso financeiro da companhia, que tem como principais sócias a Cemig e a Light. O contrato com a GE faz parte da solução montada pela Renova para viabilizar a venda do ativo para a AES Tietê.

FONTE: AE BROADCAST

Conteúdo Relacionado

Pronto para começar?

Abra sua conta

Ou deixe seus dados e entraremos em contato