Nova Futura Investimentos 31 de outubro de 2019 4 minutos lendo
Voltar para o blog

Magazine Luiza continua no centro das atenções após balanço

31 de outubro de 2019   -   4 minutos lendo

Destaque de agenda de balanços de ontem, Magazine Luiza deve continuar no centro das atenções nesta manhã pós-Copom, com o anúncio de uma oferta de follow on que pode movimentar até R$ 5,282 bilhões. Somente no pregão de ontem a empresa ganhou R$ 4,5 bilhões em valor de mercado, com as ações fechando em alta de quase 7%, na esteira da divulgação dos resultados do trimestre na noite anterior. Na oferta primária serão emitidas 90 milhões de novas ações. Adicionalmente poderão ser ofertadas até 30 milhões de ações ordinárias, sendo 10 milhões referentes a distribuição primária adicional e até 20 milhões na oferta secundária.

Na noite de ontem, o Comitê de Política Monetária (Copom) anunciou, como esperado, o corte de 0,50 ponto porcentual da Selic, de 5,5% para 5% ao ano. O BC, no entanto, ainda deixou margem para um novo corte de meio ponto porcentual até o fim do ano.

Olho também em Eletrobras, que anunciou ser alvo de uma ação judicial nos Estados Unidos, movida por Eagle Equity Funds, LLC e outros detentores de títulos ao portador e ADRs. O montante não foi especificado e a Eletrobras afirma que contratou um escritório de advocacia nos EUA para “se defender vigorosamente”. Os autores da ação alegam, dentre outras coisas, que a estatal teria feito declarações falsas e/ou enganosas ou omissões em documentos arquivados na Securities Exchange Commission (SEC, a CVM americana) sobre supostos passivos em títulos ao portador e créditos de empréstimos compulsórios no programa de empréstimos compulsórios brasileiro entre 1962 e 1993.

Dentro da agenda de resultados corporativos o destaque fica por conta de Bradesco, que entregou lucro líquido recorrente de R$ 6,542 bilhões no terceiro trimestre (em linha com as estimativas) nesta manhã, e a aérea Gol que trouxe uma melhora na linha de Ebitda. Já no início da noite serão conhecidos os resultados trimestrais de Suzano, Direcional, Copasa, Cia Hering, PetroRio e Valid.

Magazine Luiza

Com lucro líquido de R$ 235,1 milhões no trimestre, considerando os efeitos da norma contábil IFRS 16, e Ebitda ajustado de R$ 300,7 milhões, os resultados do Magazine Luiza foram considerados fortes e acima das expectativas dos analistas do Credit Suisse. Entre os destaques a corretora citou o aumento das vendas, tanto nas lojas físicas, quanto no e-commerce.

O Bradesco BBI, em relatório, definiu os números consistentes e disse considerar que a empresa está bem posicionada na “segunda onda” do e-commerce, que inclui categorias como vestuário, material esportivo e cosméticos como os próximos drivers do comércio eletrônico brasileiro.

Em relatório sobre os resultados da companhia, o BTG destaca que o e-commerce continuará crescendo numa taxa consistente, que deve ao menos triplicar até 2025. As vendas do e-commerce do Magazine Luiza cresceram 96% no terceiro trimestre de 2019 e foram responsáveis por 48,3% das vendas totais da companhia no período.

Pão de Açúcar, Lojas Americanas e B2W

Entre as varejistas, GPA reportou no terceiro trimestre lucro líquido dos acionistas controladores no segmento alimentar de R$ 216 milhões, alta de 42,8% em relação informado um ano antes. O resultado inclui os efeitos da norma contábil IFRS 16. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado do grupo no segmento alimentar cresceu 10% na mesma base de comparação, para R$ 995 milhões.

A Lojas Americanas, por outro lado, registrou queda expressiva de 59,49% no lucro líquido do período no comparativo anual, para R$ 7,976 milhões. Seu Ebitda ajustado, no entanto, cresceu 8,7% na mesma base de comparação, totalizando R$ 757 milhões.

Já a B2W trouxe resultados mais animadores, conseguindo reduzir o prejuízo líquido no período em 3% no comparativo anual, para R$ 102,5 milhões. Na mesma base de comparação, o Ebitda ajustado da empresa cresceu 15,3%, para R$ 152,3 milhões. Os resultados vieram em linha e levemente acima das expectativas de analistas ouvidos pelo Prévias Broadcast.

Cesp

A Companhia Energética de São Paulo (Cesp) registrou prejuízo líquido de R$ 7,856 milhões no terceiro trimestre, ante prejuízo líquido de R$ 102,08 milhões apurado no mesmo período do ano passado, uma queda de 92%. O Ebitda ajustado, por sua vez, somou R$ 234,6 milhões, um salto de 833,1% no mesmo intervalo de comparação.

A média das projeções obtidas pelo Prévias Broadcast estimavam um lucro líquido de R$ 14,7 milhões. Já Ebitda veio 31% acima da média das estimativas.

Braskem

A Braskem anunciou a primeira emissão de notas comerciais no valor de R$ 550 milhões. A emissão, de até 95 notas, será realizada em 10 séries. “Os recursos captados por meio da emissão serão destinados para gestão ordinária dos negócios da companhia, podendo incluir, mas não se limitando a, amortizações de obrigações”, diz a empresa em comunicado enviado à CVM.

Cada uma das notas fará jus ao pagamento de juros remuneratórios incidentes sobre o valor nominal unitário, correspondentes a 100% da variação acumulada das taxas médias diárias de juros dos DI – Depósitos Interfinanceiros de um dia, “over extra grupo”, acrescida de um porcentual (spread) ou sobretaxa de 0,85% ao ano. A remuneração e o valor nominal unitário serão pagos em uma única parcela, na data de vencimento de cada série.

FONTE: AE BROADCAST

Conteúdo Relacionado

Pronto para começar?

Abra sua conta

Ou deixe seus dados e entraremos em contato