Nova Futura Investimentos 18 de novembro de 2019 5 minutos lendo
Voltar para o blog

Braskem, Sabesp, Embraer e outras

18 de novembro de 2019   -   5 minutos lendo

As ações da Braskem e da Sabesp devem ficar sob o holofote dos investidores nesta semana, que será mais curta por conta do feriado na quarta-feira em São Paulo, do Dia da Consciência Negra. As empresas divulgaram balanço na quinta-feira passada e realizam teleconferência hoje com analistas e investidores. Atenção também para Embraer, que anunciou joint venture com a Boeing para promover a sua aeronave de transporte multimissão C-390 Millennium. Marfrig, por sua vez, comprou fatia adicional de 31,17% na National Beef, por US$ 860 milhões.

A Braskem registrou prejuízo líquido atribuível a acionistas R$ 888 milhões no terceiro trimestre deste ano, revertendo lucro líquido de R$ 1,34 bilhão no mesmo período de 2018 e de R$ 84 milhões no segundo trimestre deste ano, de acordo com o balanço consolidado. A companhia atribuiu o prejuízo ao impacto negativo da depreciação do real frente ao dólar sobre a exposição líquida da companhia não designada para “hedge accounting”.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 1,548 bilhão, representando uma queda de 57% (R$ 3,58 bilhões) frente ao mesmo período do ano passado e de 7% ante o segundo trimestre (R$ 1,663 bilhão). O Ebitda recorrente somou R$ 1,549 bilhões, queda de 58% em comparação ao terceiro trimestre de 2018 (R$ 3,72 bilhões) e alta de 2% frente ao segundo trimestre (R$ 1,52 bilhão).

Além do balanço, a Braskem informou que apresentou à Agência Nacional de Mineração (ANM) medidas para encerramento definitivo das atividades de extração de sal em Maceió, com o fechamento dos seus poços. Nesse sentido, a companhia propôs à ANM a criação de uma área de resguardo no entorno de 15 dos 35 poços que compõem as operações da mina. Com isso, serão desocupados 400 imóveis e removidas 1,5 mil pessoas. A empresa propõe que os demais 20 poços sejam monitorados.

A petroquímica não informou uma estimativa de custo para a ação, que será realizada em coordenação com a Defesa Civil, e nem o destino das famílias removidas. Contudo, segundo apurou o Broadcast, a empresa pode ser obrigada a desembolsar até R$ 400 milhões para a remoção dos moradores. Em toda a região, a estimativa é de que morem 40 mil pessoas.

Sabesp

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) registrou lucro líquido de R$ 1,209 bilhão no terceiro trimestre, um crescimento de 113,9% em relação aos R$ 565,2 milhões apurados em igual período de 2018.

O Ebitda ajustado da Sabesp alcançou R$ 3,009 bilhões entre julho e setembro, subindo 109,8% na comparação anual. A margem Ebitda ajustada atingiu 55,6% no período, ante 37,6% observados um ano antes. No mesmo período, o Ebit ajustado avançou 133,1%, para R$ 2,545 bilhões.

No setor, há ainda expectativa sobre o novo marco legal do saneamento. Parlamentares envolvidos na discussão da proposta do novo marco apostam reservadamente que o projeto pode ser votado no plenário da Câmara nesta terça-feira, 19. A data vem sendo ventilada na Casa e, se confirmada, fica próxima do calendário imaginado pelo relator do PL, deputado Geninho Zuliani (DEM-SP), que previa a votação em até 15 dias após a aprovação do texto pela comissão especial.

Cemig

Ainda entre as empresas que divulgaram balanço, a Cemig reportou um prejuízo de R$ 281,8 milhões no terceiro trimestre de 2019, revertendo o lucro líquido apurado de R$ 244,5 milhões apurado em igual período do ano passado. Segundo a empresa, o reconhecimento de uma contingência tributária sobre o pagamento de participações nos lucros e resultados (PLR), no valor de R$ 1,18 bilhão na linha de provisões, provocou o prejuízo. Tal fator também pesou sobre a geração de caixa medida pelo Ebitda, que apurou queda de 87,78% em igual intervalo de comparação, para R$ 110,2 milhões.

Segundo a estatal, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região publicou, em agosto de 2019, uma decisão desfavorável sobre uma discussão com a Receita Federal envolvendo o recolhimento de contribuições previdenciárias sobre o pagamento de PLR entre 1999 e 2016. “Em decorrência disso, a companhia, com base na opinião de seus assessores jurídicos, reavaliou a probabilidade de perda de possível para provável para determinadas parcelas pagas a título de PLR”, disse. O valor total da contingência é de R$ 1,43 bilhão, sendo R$ 1,18 bilhão já provisionado.

BMG

Em seu primeiro balanço após a abertura de capital, o banco BMG comunica lucro líquido de R$ 66 milhões no terceiro trimestre de 2019, alta de 20% em relação aos R$ 55 milhões apurados no mesmo período de 2018. O lucro recorrente entre julho e setembro ficou em R$ 88 milhões, crescimento de 14,2%. Em nove meses, o banco acumula lucro de R$ 205 milhões, número 56,4% maior que os ganhos registrados no ano passado.

Embraer

A Embraer começou a semana informando que sua aeronave de transporte multimissão se chamará Embraer C-390 Millennium. Em 2009, a Força Aérea Brasileira (FAB) contratou a Embraer para projetar, desenvolver e fabricar a aeronave, em substituição à sua frota de C-130. As entregas para a FAB tiveram início em setembro.

A fabricante brasileira também informou ainda a formação de uma joint venture com a Boeing para promover e desenvolver novos mercados para o C-390 Millennium. A joint venture, chamada Boeing Embraer – Defense, só começará a operar quando receber todas as aprovações regulatórias, disse a empresa.

Marfrig

No setor de alimentos, destaque para o anúncio da Marfrig, que por meio da sua subsidiária integral, a NBM US Holdings, Inc., celebrou acordo com o objetivo de aumentar sua participação no capital social da controlada norte-americana National Beef Packing Company, LLC (National Beef), por US$ 860 milhões.

o acordo prevê a transferência para a NBM e demais acionistas minoritários de 5.395,17 ações representativas de 31,17% do capital votante e total da National Beef. Concluída a transação, a participação da NBM passará dos atuais 51% para 81,73%.

Petrobras

Petrobras iniciou a produção de petróleo e gás natural, por meio da plataforma P-68, do campo de Berbigão, no pré-sal da Bacia de Santos. Após a P-67, no campo de Lula, e P-76 e P-77, no campo de Búzios, a P-68 é a quarta unidade a entrar em operação em 2019, em linha com o Plano de Negócios e Gestão da Petrobras. “Com capacidade para processar diariamente até 150 mil barris de óleo e comprimir até 6 milhões de m³ de gás natural, a P-68 contribuirá para o crescimento da produção da Petrobras, principalmente em 2020, com a interligação de novos poços do campo de Berbigão e com a interligação de poços do campo de Sururu”, informou a estatal.

FONTE: AE BROADCAST

Conteúdo Relacionado

Pronto para começar?

Abra sua conta