Nova Futura Investimentos 02 de dezembro de 2019 6 minutos lendo
Voltar para o blog

Vale, siderúrgicas, Oi e outras

02 de dezembro de 2019   -   6 minutos lendo

A segunda-feira começou com otimismo nas principais bolsas mundiais e futuros de Nova York, após melhora em dados econômicos da China, com destaque para recuperação da indústria de manufatura. Com isso, atenção para as empresas ligadas a commodities, que tendem a se beneficiar com a retomada da saúde econômica chinesa, sobretudo Vale e siderúrgicas. Atenção também para Oi, que divulgou seu balanço corporativo há pouco, Notre Dame Intermédica, CCR, Minerva, BMG e BR Distribuidora.

Ainda em relação à Vale, a usina de concentração de Viga da Ferrous Resources do Brasil, operada pela mineradora, retomou a produção. A mineradora conseguiu regularizar os documentos referentes ao alvará do município de Jeceaba. Assim, foi reiniciada a produção de aproximadamente 330 mil toneladas de minério de ferro por mês.

A Vale informou, porém, que o retorno das operações de Viga não altera os guidances de venda de minério de ferro e pelotas, que projetam volumes entre 307 e 312 milhões de toneladas para 2019, entre 83 e 88 milhões de toneladas no quarto trimestre deste ano, e entre 70 e 75 milhões de toneladas no primeiro trimestre de 2020. E por falar em minério de ferro, com a melhora nos indicadores chineses, a commodity fechou em alta de 1,13% nesta segunda-feira, cotada a US$ 88,45 a tonelada no porto de Qingdao, na China.

Outra empresa que poderá ganhar destaque no pregão de hoje é a Petrobras em meio a alta de mais de 2% do petróleo, após informação de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados planejam aprofundar cortes na produção até pelo menos junho de 2020. Segundo fontes ouvidas pela agência de notícias, a proposta em discussão é ampliar os cortes em ao menos 400 mil barris por dia (bpd). Atualmente, Opep e aliados restringem sua oferta em 1,2 milhão de bpd. A Opep vai discutir o assunto em reunião na quinta-feira (05).

No exterior, em semana de payroll (relatório de emprego dos EUA), as atenções devem se voltar para dados econômicos nos EUA, como o Índice dos gerentes de compra (PMI) industrial e Índice de atividade industrial do ISM hoje. Ainda no cenário internacional, o presidente americano, Donald Trump, disse há pouco que o Brasil e a Argentina têm desvalorizado suas moedas e que por causa disso retomará “imediatamente, tarifas sobre aço e alumínio” dos dois países, uma vez que “a desvalorização não é boa para nossos produtores agrícolas”. Para o sócio e economista-chefe da Modalmais, a retomada de tarifa sobre aço deverá causar algum estresse no mercado. Já para o analista da Mirae Asset Pedro Galdi, no entanto, esse anúncio tem efeito limitado num primeiro momento, uma vez que “as siderúrgicas não utilizam alumínio e as empresas que fabricam a matéria-prima têm capital fechado”, apontou. Por outro lado, caso o Brasil tenha que importar alumínio, aí podemos ver cautela com um aumento da inflação”, acrescentou.

Notre Dame Intermédica

O conselho de administração da Notre Dame Intermédica aprovou a realização de uma oferta pública subsequente de ações (follow on), conforme antecipou o Broadcast. Serão 65 milhões de ações em oferta primária, em que os recursos entram no caixa da empresa, e outras 22,75 milhões que hoje estão em posse do fundo Alkes II. No total, a oferta pode girar quase R$ 5 bilhões, levando-se em conta a cotação de fechamento da ação ON hoje, de R$ 56,69.

Levando-se em conta só a emissão primária, a Intermédica pode levantar cerca de R$ 3,5 bilhões. Os bancos coordenadores serão o Itaú BBA, JPMorgan, Morgan Stanley, Citigroup, Credit Suisse, Bradesco BBI e UBS. A oferta secundária será contabilizada como ações adicionais na operação. Segundo a companhia, os recursos levantados serão utilizados para pagar a aquisição do grupo Clinipam, liquidação de debêntures e outros investimentos.

CCR

A CCR retomou a cobrança anterior da tarifa de pedágio em praças da concessionária MSVia na BR-163 neste domingo, 1/12. Na última terça-feira, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) havia determinado por processo administrativo que a MSVia deveria aplicar a redução de 53,94% da tarifa básica.

Agora, a empresa avisa que voltará a cobrar os valores anteriores após decisão sobre agravo de instrumento interposto perante o Tribunal Regional Federal da 1a Região suspendendo os efeitos da deliberação 1025 da ANTT, “até que sejam apreciados os conflitos decorrentes do desequilíbrio contratual pelo juízo arbitral.”

Minerva

O Serviço de Fiscalização Veterinária e Fitossanitária da Rússia autorizou a exportação de carne bovina pela unidade da Minerva em Araguaina, no Tocantins. A planta tem capacidade para abater 800 cabeças de gado por dia, segundo a companhia.

Assim, a Minerva passa a ter três unidades autorizadas a exportar carne para a Rússia, com capacidade total de 4.300 cabeças por dia. O país respondeu por 13% das exportações consolidadas da companhia nos 12 meses encerrados em setembro, via Brasil ou Athena Foods.

BMG

O BMG fechou a venda de 30% do seu braço de seguros, a BMG Seguros, para a Generali. O valor pago imediatamente pela transação é de R$ 54 milhões, a serem liquidados em até 3 anos, e mais uma parcela de R$ 35 milhões ao final do 6º ano após a conclusão da operação, condicionada ao atingimento de metas operacionais. Portanto, o valor total por chegar a R$ 89 milhões.

A seguradora do BMG foi avaliada em R$ 297 milhões no âmbito da transação. O conselho da BMG Seguros será formado por cinco membros, dos quais três indicados pelo banco e dois pela Generali.

Wiz

A Wiz Corretora fechou nesta sexta a compra de 80% do capital da empresa da Money Ex Plataform Tecnologia, ou GR1D Finance. O valor pago hoje pela operação foi de R$ 2 milhões, mas o contrato prevê ainda que a Wiz pague à holding 50% dos dividendos oriundos de sua participação na Money Ex.

Outro ponto previsto é que a Wiz repasse 50% do valor que arrecadar em uma eventual venda de participação na GR1D, pelo prazo de cinco anos, além dos dividendos. A holding Money Ex Participações terá ainda, por 10 anos, uma opção de compra de 50% da participação da Wiz na empresa adquirida, mediante pagamento de um valor simbólico. E assim, as obrigações em relação a dividendos deixarão de existir. Com a operação, a Wiz passa a ter 85% das ações da GR1D.

Outras notícias

O conselho de administração da BR Distribuidora aprovou a distribuição de Juros sobre Capital Próprio (JCP) no valor de R$ 0,4637 por ação, equivalente a R$ 540,318 milhões. O valor será pago com base na posição acionária desta segunda-feira (02), e a partir de terça (03), os papéis passam a ser negociados ex-juros. O crédito será feito aos acionistas até 30 de junho de 2020.

O conselho de administração da M. Dias Branco elegeu Gustavo Lopes Theodozio como diretor de Relações com Investidores da companhia. Ele assume o cargo nesta segunda-feira, em substituição a Geraldo Luciano Mattos Júnior, que apresentou sua renúncia nesta sexta-feira, informou a empresa.

FONTE: AE BROADCAST

Conteúdo Relacionado

Pronto para começar?

Abra sua conta