Nova Futura Investimentos 13 de janeiro de 2020 3 minutos lendo
Voltar para o blog

Braskem, Itaú, BR Distribuidora e outras

13 de janeiro de 2020   -   3 minutos lendo

As ações de empresas ligadas a commodities, sobretudo Vale, Suzano e siderúrgicas – podem expandir os ganhos recentes nesta segunda-feira em meio à expectativa de assinatura do acordo comercial preliminar entre os EUA e a China na quarta-feira (15), na Casa Branca. Espera-se que detalhes do pacto, de 86 páginas, sejam revelados nesta semana. Diante disso, futuros de Nova York e as bolsas europeias operam em alta. Fique de olho também em Braskem, BR Distribuidora, Notre Dame Intermédica, Oi, Itaú Unibanco, Cosan e São Martinho.

Neste fim de semana, os Estados Unidos e a China concordaram em realizar negociações semestrais para discutir possíveis reformas nas relações comerciais e resolver disputas, segundo fontes. A iniciativa deve ser anunciada hoje.

Entre outras notícias relevantes, a Braskem informou que registrou a restituição de R$ 3,7 bilhões ao seu caixa. Desse valor, R$ 1,7 bilhão foram transferidos para uma conta bancária específica da petroquímica para custeio do Programa de Compensação Financeira e Apoio à Realocação, referente ao acordo fechado com as autoridades pelo afundamento de bairros de Maceió.

A Braskem se comprometeu a implantar um programa para a retirada e compensação de 17 mil moradores de 4,5 mil imóveis localizados nos bairros de Pinheiro, Mutange, Bebedouro e Bom Parto. O acordo prevê ainda o desembolso de R$ 1 bilhão, destinados para o fechamento de minas de exploração de sal.

Além disso, a petroquímica celebrou contrato de compra e venda de gasolina A com a Refinaria de Petróleo Riograndense (RPR), da qual possui 33,20% do capital votante e a mesma quantia do capital total. O valor total estimado do contrato é de R$ 18 milhões, e pode sofrer alterações de acordo com o volume efetivamente vendido e os preços de referência do mercado brasileiro. A gasolina A vendida pela Braskem à RPR é misturada ao pool de combustível da refinaria, com posterior revenda do produto para distribuidoras.

Itaú Unibanco

De olho na abertura do mercado livre nos próximos anos, o Itaú Unibanco se prepara para entrar no setor elétrico, apontou o Valor Econômico. A instituição financeira está montando uma comercializadora, quer desenvolver produtos relacionados à commodity e não descarta, no futuro, vender energia diretamente a seus clientes pessoa física por meio de aplicativo.

BR Distribuidora

A Moody’s atribuiu pela primeira vez notas de crédito à BR Distribuidora. A nota global é Ba1, e a nota local é Aaa.br, e ambas têm perspectiva estável. De acordo com a agência de classificação de risco, as avaliações refletem a posição de mercado da BR, maior distribuidora de combustíveis do País, mas também incorporam as melhorias de governança implementadas após a privatização da empresa, em julho de 2019.

Oi

De acordo com o colunista do O Globo Lauro Jardim, Nelson Tanure, que até o ano passado era o segundo maior acionista da portuguesa Pharol, um dos controladores da Oi, não tem mais uma ação sequer da holding.

Notre Dame Intermédica

A Notre Dame Intermédica informa que sua subsidiária BCBF Participações realizou o resgate antecipado de todas as debêntures simples de sua 3ª emissão. O valor total do resgate foi de aproximadamente R$ 932 milhões, o que corresponde ao valor das debêntures mais a remuneração até a data.

Cosan e São Martinho

O valor do etanol hidratado nas usinas paulistas subiu 1,10% na semana de 6 a 10 de janeiro ante a anterior, de R$ 2,0454 para R$ 2,0679, em média, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq). O combustível continua acima dos R$ 2/litro e nos maiores patamares nominais da série histórica, que começou em novembro de 2002. É a terceira semana consecutiva de alta. Já o valor do anidro avançou 1,55% no período, também pela terceira semana consecutiva, de R$ 2,2218 para R$ 2,2563 o litro, em média.

FONTE: AE BROADCAST

Conteúdo Relacionado

Pronto para começar?

Abra sua conta