Nova Futura Investimentos 18 de fevereiro de 2021 3 minutos lendo
Voltar para o blog

Mercado abre com cautela aguardando dados econômicos nos EUA

18 de fevereiro de 2021   -   3 minutos lendo

As bolsas na Europa fecharam em queda. O receio em torno das expectativas de risco de inflação, fizeram com que os juros de títulos soberanos subissem, contribuindo para que as bolsas europeias fechassem em baixa. Londres teve queda de 0,56%. Frankfurt, perdeu 1,10%. Paris, teve desvalorização de 0,36%. Milão perdeu 1,12%. Na península ibérica, houver derretimento de 0,16% em Lisboa e de 0,38% em Madri.

As bolsas de Nova York fecharam mistas com os investidores focados no mercado de Treasuries enquanto aguardavam a ata do FOMC. O documento ainda apresentou um posicionamento dovish, tendo em vista as percepções de que economia americana ainda enfrenta um momento desafiador. O Dow Jones teve alta de 0,29%, O S&P 500 teve queda 0,03% e o Nasdaq teve deterioração de 0,58%.

No Brasil, após o feriado de carnaval, fechou em alta, repercutindo a alta das ADR’s no dia anterior. A alta do petróleo e a Ata do FOMC, a evidenciar uma política monetária acomodatícia, contribuíram para o bom-humor local. O Ibovespa teve alta de 0,78% a 120.355,79.

Os mercados asiáticos fecharam majoritariamente em queda devido à realização de lucros em setores que tiveram fortes ganhos recentemente. Na China, Xangai teve alta de 0,55% e o Shenzhen, teve queda de 0,41%. Hang Seng, teve recuo de 1,58%. Seul e Tóquio também perderam, com queda de 0,19% e 1,50% respectivamente. Taiwan, subiu a 0,38%.

Acontecimento de hoje (18):

No exterior, as bolsas abriram em queda enquanto os agentes esperam o anúncio de importantes dados econômicos e as expectativas relação aos estímulos e discussões em torno da inflação no exterior.

No Brasil, a segunda prévia do IGP-M teve variação de 2,29%, mais uma vez impactado pelo IPA, variando 2,98% com destaque para minério de ferro (4,41%), soja (5,89%) e bovinos (9,16%).

As vacinas, discussões em torno do auxílio emergencial e da política nacional também continuarão no radar.

Às 11:20, o Bacen fará rolagem de swaps cambiais e o Tesouro fará oferta de LTNs para os vencimentos 2022, 2023 e 2024 e NTN-Fs para 2029 e 2031, LFTs para 2022 e 2027.

Internacional

Nos Estados Unidos, quanto aos indicadores de atividade econômica, a Associação Nacional de Corretores de Imóveis, divulgará a quantidade de Licenças para Construção no mês de janeiro, com expectativa de queda, saindo de 1,704 mil para 1,678 mil pedidos. Ainda referente ao mercado imobiliário, a construção de novas casas também tende a cair em janeiro, saindo de 1,669 mil para 1,658 mil.

Há expectativa que o preço dos bens importados, divulgado pela Departamento do Trabalho Americano, saia de 0,9% para 1,0%

O FED da Filadélfia, divulgará o índice de atividade industrial para fevereiro. Como a região é uma das mais importantes referente ao setor, acaba sendo um importante indicador antecedente. O mercado espera que o índice saia de 26,5 para 20 pontos.

Os pedidos iniciais por seguro-desemprego, tem perspectiva de queda, saindo de 793 mil para 765 mil, evidenciando ainda um número elevado para o indicador, ainda mostrando fragilidade no mercado de trabalho americano.

Por fim, às 13:00 a EIA (Administração de Informação de Energia) divulgará o estoque de petróleo bruto produzido em solo americano.

Balanços

No Brasil, serão divulgados os balanços de IRB (IRBR3) e JHSF (JHSF3). No exterior, muitas companhias divulgarão seus resultados, com destaque para Walmart, Nestle, Barclays e Credit Suisse.  

Conteúdo Relacionado

Pronto para começar?

Abra sua conta