Enquanto o mercado aguarda definições sobre a reforma da Previdência e o andamento das negociações entre China e Estados Unidos, algumas empresas brasileiras começam o ano tentando contornar alguns problemas. Ontem, a Energisa informou que vai recorrer judicialmente da decisão que suspendeu o reajuste tarifário da Eletroacre. O reajuste da distribuidora de energia do Acre, aprovado pela Aneel em dezembro, foi suspenso por uma decisão judicial. Hoje, a Forjas Taurus anunciou acordo preliminar para encerrar ação judicial nos Estados Unidos contra a companhia e sua controlada Braztech International. Olho também em Copel, que anunciou novo presidente, e Gafisa, que enfrenta problemas financeiros e anunciou mudança de sede.

No caso da Taurus, o acordo as autoridades, se concretizado, deve afetar o patrimônio líquido entre US$ 7,1 milhões e US$ 7,9 milhões. Este é o valor referente a custas processuais, indenizações e honorários dos advogados dos autores. Na semana passada, as ações da fabricante de armas de fogo dispararam 88% (ON) e 95% (PN) nos dois primeiros pregões de 2019, com a perspectiva de liberação da posse de arma e pela notícia de que o investidor Luiz Barsi Filho elevou sua participação acionária na empresa. Barsi é conhecido por ser a pessoa física com maior capital aplicado na B3.

Copel

Em reunião realizada ontem, o conselho de administração da Companhia Paranaense de Energia (Copel) elegeu Daniel Slaviero como novo diretor presidente da companhia. Ele exercia o cargo de diretor executivo da rede SBT de televisão.

O colegiado também elegeu Eduardo Vieira de Souza Barbosa como diretor Jurídico e de Relações Institucionais. Ele é advogado e sócio do escritório Vieira Barbosa & Carneiro Advogados desde janeiro de 2009. Ele foi Procurador Chefe da Junta Comercial do Paraná entre 2011 e 2015.

Furnas

A geradora de energia Furnas, subsidiária da Eletrobras, vai realizar no próximo dia 17 um leilão de venda de energia elétrica. Serão ofertados dois “produtos”: um contrato com início de suprimento em julho deste ano até 26 de fevereiro de 2035, e outro com início de fornecimento em janeiro de 2020 até a mesma data de 26 de fevereiro de 2035. Em ambos os casos, a energia comercializada é “convencional”, com entrega no submercado Sudeste/Centro-Oeste.

Renova

A Renova informa que está em negociação “avançada” com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) para prorrogação do vencimento para implantação do Complexo Eólico Alto Sertão III. Em comunicado na noite de ontem, a companhia explica que essa negociação decorre do recebimento de oferta vinculante da Farallon para financiamento do projeto, anunciada em 21 de dezembro, e da não aprovação da oferta feita pela AES. Sobre esta, a AES Tietê Energia informou na última segunda-feira que poderá reavaliar a proposta para aquisição do Complexo Eólico Alto Sertão III. Os valores não foram divulgados.

Gafisa

A Gafisa assinou ontem o contrato de locação do imóvel que será a nova sede da companhia, na Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, na capital paulista. Segundo a construtora, a mudança deve ocorrer até março e a economia com a mudança chegará a R$ 4 milhões por ano, por conta da redução de despesas com o valor de locação, condomínio e IPTU.

Em dezembro, a incorporadora recebeu um pedido de despejo da sua sede por estar inadimplente com o aluguel e o condomínio desde outubro. Naquele mês, foi empossada a nova direção da companhia, indicada pela gestora de recursos GWI, do investidor e maior acionista, Mu Hak You. Desde então, o pagamento de vários fornecedores foi suspenso sob a justificativa de revisão dos contratos.

O calote da Gafisa citado no processo considerava dois meses de atraso, com um saldo aberto de R$ 774, 9 mil, dos quais R$ 729,6 mil são de aluguel e R$ 45,2 mil de condomínio. Já o valor total da ação movida contra a empresa era de R$ 3,9 milhões.

Aéreas

A Latam Airlines divulgou sua prévia operacional do mês de dezembro, que mostrou um aumento de 5,5% na demanda por seus voos (RPK) e de 6,2% na oferta de assentos (ASK), na comparação com o mesmo mês de 2017. Assim, a taxa de ocupação caiu de 84% para 83,5% em um ano. Em todo o ano de 2018, a RPK registrou alta de 2,9%, enquanto a ASK cresceu 5%, o que levou a uma queda de 1,7 ponto porcentual na taxa de ocupação, para 83,1%. Já o número de passageiros transportados pela Latam no ano passado subiu 2,5%, para 68,806 milhões.

Na semana passada, a Gol anunciou números mais modestos. A oferta (ASK) no mercado doméstico caiu 0,5% em dezembro ante igual mês de 2017, enquanto a demanda (RPK) no País aumentou em 3%. Com isso, a taxa de ocupação doméstica da Gol em dezembro foi a 84,4%, um aumento de 2,8 p.p.. No ano, a oferta teve alta de 2,3% e a demanda, de 3%.

Ainda no setor, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a empresa argentina Avian Lineas Aéreas a operar no território brasileiro. O aval vale para serviço de transporte aéreo internacional regular de passageiro, carga e mala postal.

Privatizações

Em coletiva após a cerimônia de transmissão de cargo, o novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, prometeu participação intensa na modelagem das concessões de infraestrutura. Segundo ele, o BNDES será parceiro na modelagem das privatizações, mas a direção será dada pelo secretário geral de Desestatização do Ministério da Economia, o empresário Salim Mattar.

Sobre o tema, a Frente Nacional Pela Volta das Ferrovias (Ferrofrente) encaminhou ao Ministério da Infraestrutura um documento contendo uma série de críticas ao atual modelo proposto para as concessões ferroviárias. A entidade acredita que o processo apresenta “muitas distorções” que poderiam causar prejuízos aos cofres públicos. Na visão da Ferrofrente, houve uma subavaliação nos valores estipulados para a outorga de projetos como o da Norte-Sul, “que já recebeu R$ 16 bilhões de investimento público”. O governo fixou em R$ 1,353 bilhão o lance mínimo para a subconcessão de um trecho de 1,5 mil quilômetros da ferrovia, que será leiloado no fim de março.

CCR

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) remarcou para sexta-feira, 11, a data de assinatura do contrato de concessão da Rodovia de Integração do Sul (RIS), arrematada pela CCR em novembro passado. Pelo cronograma inicial, a assinatura do documento iria ocorrer hoje. A mudança está publicada no Diário Oficial da União (DOU). A CCR levou o lote de estradas que compõem a RIS com a oferta da menor tarifa básica de pedágio, de R$ 4,30545, com deságio de 40,53% em relação à tarifa máxima, fixada em R$ 7,24.

(Fonte do noticiário corporativo: Agência Estado News)

(Visited 17 times, 1 visits today)