A Petrobras deve, mais uma vez, ficar no radar dos investidores nesta segunda-feira, depois que seu novo presidente, Roberto Castello Branco, indicou três novos diretores para a estatal. Além disso, também para avaliação dos analistas, a Gol publicou sua prévia operacional de dezembro e do quarto trimestre, enquanto a Equatorial Energia informou ter assinado contratos de financiamento com três instituições no valor de cerca de até R$ 3,7 bilhões. Olho também em Cielo, que aprovou a contratação de derivativo, e CVC e QGEP, que divulgaram seus dados operacionais do quarto trimestre. Hoje, os novos presidentes de Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e BNDES tomam posse em Brasília.

Na noite da última sexta-feira, a Petrobras informou que Castello Branco indicou Anelise Quintão Lara para a diretoria executiva de Refino e Gás Natural; Lauro Cotta foi indicado para a diretoria executiva de Estratégia, Organização e Sistema de Gestão. Eles ocuparão as vagas deixadas por Jorge Celestino e Nelson Luiz Costa Silva, respectivamente.

Além disso, o presidente da estatal indicou Rudimar Andreis Lorenzatto para a diretoria executiva de Desenvolvimento da Produção & Tecnologia, no lugar de Hugo Repsold. A dispensa deste último, segundo o comunicado, “será oportunamente encaminhada à aprovação do conselho de administração da companhia”.

Ainda de acordo com o texto, Solange da Silva Guedes, diretora executiva de Exploração e Produção, Eberaldo de Almeida Neto, diretor executivo de Assuntos Corporativos, Rafael Mendes Gomes, diretor executivo de Governança e Conformidade, e Rafael Salvador Grisolia, diretor executivo Financeiro e de Relacionamento com Investidores, permanecem em suas funções.

Anelise Quintão Lara e Rudimar Andreis Lorenzatto já ocupavam cargos na empresa. Lauro Cotta, por sua vez, foi diretor presidente da Minasgás Distribuidora de Gás Combustível, SHV Gás Brasil e Supergasbras Energia, no período entre 2000 e 2014. Também foi membro do Conselho da SHV Energy-Holanda, de 2012 a 2014, do Conselho Consultivo da Supergasbras Energia, de 2014 a 2017, e é membro do Conselho de Administração do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP).

Gol

A Gol informou que a oferta (ASK) no mercado doméstico caiu 0,5% em dezembro ante igual mês de 2017, enquanto a demanda (RPK) no País aumentou em 3%. Com isso, a taxa de ocupação doméstica da Gol em dezembro foi a 84,4%, um aumento de 2,8 p.p. Na mesma base de comparação. O volume de decolagens diminuiu 2,2% e o total de assentos aumentou 2,5% ante o último mês de 2017. A ASK e RPK da empresa no mercado internacional aumentaram 33,7% e 31,8%, respectivamente, em dezembro, enquanto a taxa de ocupação foi a 76,3%, queda de 1,1 p.p. em relação a dezembro de 2017.

Com os números prévios de dezembro, a Gol terminou o quarto trimestre com leve aumento de 0,1% na oferta (ASK) no mercado doméstico ante igual período de 2017. No ano, registrou alta de 2,3%. A demanda, medida pelo RPK, cresceu 1,4% nos últimos três meses de 2018 e 3% no ano todo. Com isso, a taxa de ocupação no mercado doméstico cresceu 1,1 ponto porcentual no quarto trimestre, para 82,8%, e 0,5 pp no ano, a 80,7%.

No âmbito internacional, a Gol terminou o quarto trimestre com avanço de 18,8% na oferta (ASK) ante igual período de 2017. No ano, registrou alta de 7,6%. A demanda cresceu 18,2% nos últimos três meses de 2018 e 4,3% em todo o ano passado. Com isso, a taxa de ocupação cedeu 0,3 pp no quarto trimestre, para 75%, e 2,3 pp no ano, a 73,8%.

Equatorial

A Equatorial Energia comunicou ter fechado, em dezembro, contratos de financiamento com Banco Nacional do Nordeste (BNB), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Banco do Brasil, num total de R$ 3,7 bilhões. Com estes financiamentos, a Equatorial diz ter equacionado o funding de 100% dos investimentos na Celpa e na Cemar até 2020. Para os projetos de Transmissão, os financiamentos de longo prazo contratados em 2018 totalizam 63% do financiamento esperado.

Com o BNB, a empresa firmou contrato para sua controlada Equatorial Transmissora 5 SPE no valor total de até R$ 356 milhões. Junto ao BNDES, a Equatorial assinou contrato de financiamento para suas controladas Companhia Energética do Maranhão (Cemar) e Centrais Elétricas do Pará (Celpa) com o objetivo de financiar os investimentos no período de 2018 a 2020 das empresas, no valor total de até R$ 1,22 bilhão e R$ 1,34 bilhão, respectivamente. Por fim, com o Banco do Brasil, a empresa celebrou contrato de financiamento para suas controladas Equatorial Transmissora 7 SPE e Equatorial Transmissora 8 SPE, com o objetivo de abertura de crédito no valor total de até R$ 293 milhões e R$ 495 milhões, respectivamente.

Cielo

O Conselho de Administração da Cielo aprovou a possibilidade de contratação de operação de derivativo, para se proteger da variação cambial sobre seus bonds denominados em dólares, no valor de até US$ 470 milhões. A operação é acrescida de juros e impostos, na modalidade swap cambial e/ou non-deliverable forward – NDF.

CVC

A CVC informou publicou seus resultados operacionais do quarto trimestre de 2018. Segundo a empresa, as reservas confirmadas totalizaram R$ 3,540 bilhões no período, alta de 17,4% ante igual intervalo de 2017. Em 2018, o crescimento das reservas confirmadas superou a marca do duplo digito e atingiu 11,7%, totalizando R$ 13,261 bilhões. Ainda de acordo com a CVC, todos os canais de vendas da companhia alcançaram crescimento de duplo dígito no trimestre. O canal online apresentou expansão de 114,5%, “impulsionado, novamente, pelo bom desempenho tanto da Submarino Viagens quanto da CVC.com no trimestre”. Em 2018, o crescimento do canal online foi de aproximadamente 70%.

Taesa

A Transmissora Aliança de Energia Elétrica (Taesa) informou que obteve a aprovação da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) para a renovação do incentivo fiscal, na modalidade modernização, para as empresas ATE III Transmissora de Energia, localizada no Pará, e Brasnorte Transmissora de Energia, do Mato Grosso do Sul. Com isso, as concessionárias terão redução de 75% do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) pelo prazo de 10 anos. Em comunicado ao mercado, a empresa informa que aguarda a emissão dos laudos constitutivos para fins de fruição dos referidos benefícios fiscais.

Oi

A Oi emitiu 275.985 ações ordinárias e entregou esses papéis aos titulares de bônus de subscrição que exerceram seus direitos a partir do dia 4 de dezembro de 2018 até o último dia 2 de janeiro. Isso inclui bônus de subscrição representados por 55.197 American Depositary Warrants (ADWs) exercidos a partir do dia 28 de novembro de 2018 até o dia 26 de dezembro de 2018. A companhia disse esperar que os American Depositary Shares (ADSs), cada um representando cinco ações ordinárias, sejam entregues em 7 de janeiro de 2019 aos titulares que exerceram seus ADWs até 26 de dezembro de 2018.

Em outro comunicado, depois de anunciar ontem que o prazo para a integralização do valor das novas ações ordinários da empresa, no âmbito do aumento de capital, foi prorrogado para 9 de janeiro, ante a data de 4 de janeiro inicialmente prevista, a Oi informou as datas e prazos posteriores à integralização das novas ações ON.

De acordo com a Oi, em 15 de janeiro de 2019, os titulares de direitos de preferência que tenham manifestado sua intenção em subscrever sobras serão notificados com relação à respectiva alocação dos papéis e serão chamados a integralizar o valor das sobras alocadas. Os subscritores terão até o dia 18 de janeiro de 2019 para integralizar o valor de subscrição desses papéis.

Os papéis emitidos serão creditados aos seus respectivos titulares em até três dias úteis após as reuniões do Conselho de Administração que serão convocadas para ratificar a emissão das novas ações, prevista para ocorrer no dia 11 de janeiro, e das sobras, prevista para o ocorrer no dia 21 de janeiro de 2019.

QGEP

A produção total da QGEP Participações no quarto trimestre de 2018 foi de 1,852 milhão barris de óleo equivalente (boe), ou produção média diária de 20,1 mil boe, segundo a companhia.

(Fonte do noticiário corporativo: Agência Estado News)

(Visited 29 times, 1 visits today)