Nova Futura Investimentos 16 de maio de 2022 4 minutos lendo
Voltar para o blog

Diferença entre juros simples e composto: como identificar e calcular

16 de maio de 2022   -   4 minutos lendo

A diferença entre juros simples e composto ainda gera dúvidas entre muitas pessoas, principalmente se não há conhecimento detalhado do mercado financeiro. 

No entanto, saber identificar esses dois tipos – bem como calculá-los – é fundamental para organizar pagamentos. E, inclusive, entender como se dá o rendimento do seu dinheiro aplicado.

O juro, basicamente, é o rendimento advindo do empréstimo de dinheiro, o qual possui taxas determinadas e um prazo preestabelecido. 

Ele é subdividido em duas modalidades e o cálculo de ambos possui regras específicas. Confira a seguir o artigo exclusivo da Nova Futura sobre o assunto e aprenda em definitivo a diferença entre juros simples e composto. Boa leitura!

Diferença entre juros simples e composto

Para ter ainda mais segurança na hora de realizar compras, empréstimos e investimentos, é ideal que você saiba diferenciar juros simples e compostos. E neste caso, temos um conceito básico.

Isso porque, o juros simples é aquele calculado em cima do valor total da operação, seja ela um empréstimo e um depósito. Por isso, ele é bem fácil de determinar, uma vez que só é necessário levar em consideração o capital inicial. 

Por outro lado, os juros compostos são mais complexos para se obter. Ele se refere ao total do capital mais os juros que já foram acumulados em cada período. Com isso, ao final da aplicação esse valor é somado ao capital do início. 

É por isso que eles são conhecidos como juros sobre juros. E claro, ao final de um prazo mais longo, o montante tende a ser maior. 

Mas antes de continuarmos no assunto, que tal entender os conceitos mais básicos a respeito da definição de juros? Acompanhe a seguir. 

Afinal, o que são juros?

Os juros podem ser compreendidos como um valor a mais que uma pessoa deve pagar ou receber em alguma transação financeira. Por exemplo, em um empréstimo, se trata de remuneração calculada em cima do valor inicial. 

Sendo assim, em alguns casos, ele pode ser visto como um “aluguel” do dinheiro que foi emprestado. Além disso, temos os juros do cartão de crédito, que são um percentual cobrado caso haja atrasos no pagamento. 

Por outro lado, em um investimento, os juros são um rendimento da aplicação que foi feita. Ao investir, você estará emprestando esse montante de dinheiro para uma instituição, que deverá pagar por isso. 

Dessa forma, é importante entender que cada tipo de operação conta com uma taxa de juros diferentes. E claro, ainda existem dois tipos de juros, como já explicamos na diferença entre juros simples e composto. 

Definição de juros simples

Vamos entender melhor do que se trata os juros simples? Pois saiba que eles são uma porcentagem fixa em cima de um dinheiro investido ou de empréstimo

Vale lembrar que o valor da taxa de juros precisa ser acordado entre as partes envolvidas. Esses juros podem acontecer em empréstimos e deve ser pago de acordo com o capital inicial. 

Para isso, existe uma fórmula matemática que facilita seu cálculo:


diferença entre juros simples e composto

Exemplo de juros simples

Vamos usar um exemplo prático bem simples para que você entenda como calcular os juros simples. 

Se você pegar um empréstimo de R$2.000, em um período de 3 anos, e com uma taxa de juros de 15% ao ano, temos: 

J = 2.000 x 0,15 x 3 

J = 900

Ou seja, temos um juros simples final de R$900 reais, considerando o capital inicial e o prazo do empréstimo. 

Definição de juros composto

Já no caso dos juros compostos, o cálculo é feito em cima do capital inicial, mais o juros que foram acumulados durante o período. 

Ou seja, os juros ganhos em um determinado período são acrescentados ao capital principal que, ao final, terá seu valor maior. Assim, os novos juros são cobrados em cima desse segundo valor. 

Esse tipo de juro costuma ser utilizado em transações que possuem uma longa duração e contam com um crescimento exponencial. Veja a fórmula: 


juros compostos

Exemplo de juros composto

Vejamos um exemplo bem simples para entender claramente como funcionam os juros compostos. 

Como esse tipo de juro é muito utilizado em investimentos, você pode investir um total de R$5 mil, em um período de 3 anos e com uma taxa de 10% ao ano. 

M = 5.000 (1+ 0,10) ^ 3

M = 5.000 x (1,10) ^3 

M = 5.000 x 1,33

M = 6.655

Portanto, levando em consideração um montante de R$6.655, você obteve R$1.655 de juros. 

Resumo: diferença entre juros simples e composto

Depois desses exemplos, ficou ainda mais claro a diferença entre juros simples e composto. Mas preparamos um quadro comparativo para deixar tudo simples:

principais diferenças juros simples e composto

Conte com a Nova Futura para fazer seus investimentos

Agora que você já sabe a diferença entre juros simples e composto, já deve ter percebido a importância de utilizar os juros compostos a seu favor, investindo seu capital. Por isso, chegou a hora de conhecer a Nova Futura

A Nova Futura é uma corretora independente com quase 4 décadas de tradição e, durante toda a sua história, teve destaque em mercados de equities e derivativos.

Por isso, é sua melhor escolha para descomplicar investimentos e fazer parte de uma plataforma segura, fácil e com atendimento personalizado. Abra já a sua conta na Nova Futura e inicie seus investimentos com segurança e maior tranquilidade.

Conteúdo Relacionado

Pronto para começar?

Abra sua conta